Parque Aquático Julio de Lamare

 

Projetado pelos arquitetos Rubens Cozzo, Ricardo Labre e Cândido Lemos, o Parque Aquático Julio de Lamare foi inaugurado em setembro de 1978 no Complexo do Maracanã e, desde então, passou a ser palco de grandes eventos esportivos de natação, pólo aquático, nado sincronizado e saltos ornamentais. Ocupa uma área de 18.515m², um dos maiores no gênero da América Latina. Seu nome homenageia o jornalista esportivo Julio de Lamare, grande incentivador de sua construção, falecido em 11 de julho de 1973, num acidente aéreo em Paris.

piscina1

Com capacidade inicial de 5.712 lugares, o parque dispõe de uma piscina olímpica, de 25m x 50m, uma piscina coberta para aquecimento de 10m x 25m, e um tanque para saltos, de 25m x 25m com profundidade máxima de 5 metros.

Para abrigar as competições de pólo aquático dos Jogos Pan-americanos, realizados em julho de 2007 no Rio de Janeiro, o parque aquático foi reformado ao custo de R$ 10 milhões. Suas arquibancadas receberam assentos, o que diminuiu a capacidade para 5 mil pessoas, mas passou a proporcionar maior conforto e comodidade aos espectadores. O parque possui 6 banheiros para atender ao público (3 femininos e 3 masculinos). Em 2 de maio de 2006, o Parque Aquático Julio de Lamare foi reinaugurado, e promoveu o Campeonato Mundial Júnior de Natação, de 23 a 27 de agosto do mesmo ano.

piscina2

Grandes nomes da natação brasileira, como Fernando Scherer, o “Xuxa”, e Gustavo Borges, iniciaram suas carreiras no parque, que tem a aprovação da Fina – Federação Internacional de Natação – por apresentar todas as exigências necessárias para realização de grandes eventos. Está em estudo um projeto para transformar o espaço em Centro de Excelência para a prática de esportes aquáticos.

 

Tecnologia PRODERJ - Todos os direitos reservados